Utilizamos cookies próprias ou de terceiros para melhorar os nossos serviços, através da análise dos seus hábitos de navegação. Se continuar a navegar sem alterar a configuração, consideramos que aceita a utilização de cookies do nosso site. Poderá obter mais informações, ou então conhecer a forma de alterar a configuração, na nossa "Informação legal".

ACEITAR
Ilhas Canárias - Latitude de vida

O sorriso do sol

Um emocionante documentário que nos descobre as experiências de onze inuit na sua fascinante viagem às Ilhas Canárias.

Quatro homens, três mulheres e quatro crianças entre oito e um ano de idade são os protagonistas desta aventura nas sete ilhas canárias. “O sorriso do sol” é um documentário sobre a forma como O MELHOR CLIMA DO MUNDO influi nos habitantes de uma das zonas com o clima pior.

Era a primeira vez que saiam para um lugar tão longínquo, e tão diferente, desde a sua pequena aldeia de apenas 300 habitantes situada nas gélidas terras da Gronelândia, onde as temperaturas são extremamente frias durante a maior parte do ano.

Acompanhados por Francesc Bailón, antropólogo espanhol especialista na cultura inuit e ao qual lhe une uma estreita relação devido às suas contínuas viagens a Kulusuk, o grupo chegou às ilhas com o melhor clima do mundo para viver situações que jamais haviam experimentado e descobrir um ambiente radicalmente diferente ao gélido ártico: desde sentir na cara a aprazível brisa e andar descalços sobre a cálida areia da praia, a deixar-se acariciar pelas ondas do mar, ver no local árvores e bosques pela primeira vez, ou animais como camelos e lagartos… E também experiências como ver sair a água corrente da torneira ou visitar cidades. Infinidade de vivências e emoções que nunca esquecerão ficaram registadas para sempre neste documentário e, sobre tudo, nos seus SORRISOS.

A VIAGEM EM TRÊS MINUTOS

GALERIA DE FOTOS

Ilhas
Canárias
KULUSUK

Kulusuk

É uma isolada aldeia de 300 habitantes situada na região de Tunu, a este da Gronelândia. Lá, os inuit vivem em condições muito difíceis, com um clima extremo e uma paisagem permanentemente coberta de gelo. Tal é assim que no dia da partida para as Ilhas Canárias estava previsto que trovejasse, pelo que quase de certeza o aeroporto permaneceria encerrado. Perante este contratempo, a expedição decidiu fretar um avião que os levaria de Kulusuk atá Reiquiavique, na Islândia. Após mais de 13 horas de voo e 4.500 quilómetros, os nossos amigos inuit chegaram por fim ao lugar com o melhor clima do mundo.

OS PROTAGONISTAS

Anda Kuitse

64 anos, drum dancer

Peter Uitsatikitseq

49 anos, pescador e caçador

Birthe Uitsatikitseq

45 anos, dona de casa

Justus Utuaq

28 anos, bombeiro e caçador

Charlotte Uitsatikitseq

23 anos, empregada num jardim de infância

Niels-Ole Utuaq (Mogu)

25 anos, caçador

Helene Utuaq

30 anos, dona de casa

Augo Nathanielsen

8 anos

30 SEGUNDOS DE EMOÇÕES E EXPERIÊNCIAS

De pescar em águas geladas…
a disfrutar das ondas do Atlântico
De cantar e dançar sobre o gelo…
a sentir a brisa das Ilhas Canárias
Da parca e das botas…
à t-shirt e o fato de banho
Dos castelos de gelo…
ao tacto da areia cálida

Francesc Bailón Trueba

Antropólogo

Após licenciar-se em Antropologia Cultural (Universitat de Barcelona), decidiu em 1997 dedicar-se ao estudo e investigação da cultura inuit. Até à data, realizou 21 expedições ao Ártico, centrando o seu trabalho de campo em Kalaallit Nunaat (Gronelândia). É professor e conferencista de temas relacionados com este povo, guia cultural de viagens ao Ártico e product manager greenland da agência X-PLORE Viajes & Expediciones. Assessor do Teatre Nacional de Catalunya na obra Gronelândia (2012) dirigida por Jordi Faura e trabalhou como especialista em cultura inuit no filme Nobody wants the night (2015), dirigida pela cineasta Isabel Coixet. Colaborador do National Geographic e autor de vários artigos sobre a cultura inuit e dos livros Os poetas do Ártico. Histórias da Gronelândia (2012) e Los inuit. Caçadores do Grande Norte (2015). Atualmente é considerado um dos melhores especialistas nesta matéria a nível mundial.

Guille Cascante

Diretor

Sócio fundador e diretor da produtora Goroka, é responsável pelos programas Página 2 e Mapa Sonoro de TVE, O tamanho não importa do Canal Plus ou os programas Cites 2.0 e Caràcter na TV3, entre outras muitas produções. Também dirigiu os documentários Ecos do subsolo (TVE/RedBull), Rauxa Visual (TVE/TV3) e Palavras em redor do mundo, vencedor do melhor documentário espanhol do Barcelona Sport Film Festival. Realizou os seus últimos trabalhos em Cabo de Hornos, a rodar um documentário para a Barcelona World Race e no oceano Ártico, onde dirigiu o documentário Latitude 80. Baleias, golfinhos e borboletas no qual reflete sobre a ideia do lar a partir de uma viagem em veleiro pelos lugares mais remotos da Terra.